060A8740

Webinar “QuickData: os dados do seu negócio na palma da sua mão”

O Webinar, que é 100% online e 100% gratuito, abordará:

– O que é o QuickData?;
– Demonstração do uso e como a ferramenta pode fornecer informações imprescindíveis sobre o desempenho de vendas do seu varejo;
– Segurança de dados fornecidos em tempo real, em respaldo às regras da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoas (LGPD);
– Como explorar informações assertivas a respeito das tendências de venda;
– Como otimizar os fluxos do seu negócio.

Conheça mais o nosso palestrante clicando aqui.

Para fazer a sua inscrição basta clicar aqui.

 

Blockchain: qual seu impacto na segurança de dados no varejo?

Uma das maiores dificuldades encontradas ao administrar os sistemas de uma rede varejista é aliar agilidade e segurança nos pontos de venda. O Blockchain, uma das tecnologias disruptivas mais comentadas do momento, traz soluções interessantes para essa questão.

Ele surgiu na década passada e já está sendo utilizada em implementações de sistemas para melhoria da gestão dos processos empresariais e garantia de segurança dos dados. Mesmo que tenha surgido inicialmente associado ao Bitcoin, o conceito se expandiu e invadiu diversas áreas.

Hoje, já está sendo proposto para garantia de melhor confiabilidade de informações e melhoria de gestão dos processos internos. Neste artigo, você aprenderá um pouco mais sobre o Blockchain no varejo. Não deixe de ler!

O que é Blockchain?

Essa é uma tecnologia que surgiu para transformar fenômenos e processos.

Em 2008, com a ascensão do Bitcoin, fazia-se necessária uma forma segura e consistente de validar as transações digitais. Diante disso, o modelo do Blockchain, que constitui uma “corrente de blocos”, como o nome sugere, com controle descentralizado sobre as operações financeiras.

Quando duas pessoas negociam digitalmente, elas iniciam um processo. Esse processo passa por diversos computadores para ser validado e, então, ser incluído em uma cadeia de blocos. Dessa forma, é possível garantir que regras sejam respeitadas. Assim, também é possível que uma transação financeira seja feita sem intermediários, como bancos ou instituições financeiras.

Como Alex Tapscott e Don Tapscott explicam no livro Blockchain Revolution, essa tecnologia “nos permite enviar dinheiro de forma direta e com segurança, sem passar por banco ou empresa de cartão de crédito”. Os Tapscott também explicam que o Blockchain é como um código-fonte aberto: qualquer um pode alterar e gerenciar gratuitamente. Para aprofundar seus conhecimentos, esse livro é uma opção de leitura adicional.

Essa tecnologia absorveu muitos dos princípios que caracterizavam a própria internet no início: descentralização, universalidade, falta de discriminação e dependência de consenso. Por isso, alguns autores, como Daniel Drescher, já dizem que a evolução da rede mundial dos computadores pode ser entendida como um modelo para a futura evolução do Blockchain. Aliás, Blockchain básico: Uma introdução não técnica em 25 passos, do Daniel Drescher, também é uma boa dica de leitura.

Como o Blockchain pode ser usado no varejo e quais as vantagens?

O conceito e o paradigma que essa tecnologia envolve podem ser implementados em diversas outras áreas, inclusive no varejo. A ideia é a seguinte: um grande banco de dados não centralizado, no qual os envolvidos disponibilizam informações, têm acesso a elas e as validam.

Segurança

A principal vantagem é a segurança. Os blocos são protegidos por criptografia e não podem ser apagados, esse grande banco de dados ganha uma proteção mais robusta por conta dos códigos especiais.

Como no varejo as empresas precisam se comunicar com muitas outras em uma cadeia de processos, a segurança consegue garantir que todos os envolvidos sejam conhecidos e que os dados estejam disponíveis somente para quem for de interesse.

Consenso

Todos os participantes de uma corrente precisam validar uma transação para que ela seja oficialmente validada, o consenso de todos é o principal requisito. No varejo, isso também fortalece a transparência e facilita a negociação entre companhias parceiras, bem como permite a visualização das responsabilidades divididas entre os atores do processo.

Confiança do cliente

A possibilidade de aumento da transparência nos processos ajuda a aumentar a confiança do cliente nas operações da empresa. Afinal, ele acompanha de perto tudo o que está acontecendo.

Com a possibilidade do Food Tracking, rastreio dos alimentos em todas as etapas de produção, por exemplo, uma das principais consequências é a garantia de confiança do cliente. A possibilidade de o cliente acessar as etapas e conferir a qualidade do que é vendido favorece a fidelização dos consumidores.

Agilidade nas operações

Pensando em transações financeiras, é fácil perceber como essa tecnologia aumentará a agilidade, já que sua implantação dispensa a ação de intermediários controladores.

Além de permitir transações financeiras mais rápidas e menos burocráticas, o Blockchain auxilia na gestão e administração das companhias, gerando mais conhecimento, o que aumenta a agilidade das operações internas. A padronização das atividades também impulsiona a velocidade.

Com esse modelo, o gestor consegue tomar decisões rápidas e em tempo real, eliminando possíveis gargalos decorrentes de incidentes inesperados. Por exemplo, se um produto for adulterado em alguma das etapas, ele é substituído antes que cause problemas para as fases subsequentes ou chegue ao consumidor com defeito. Ou seja, a tomada de decisões pode ser feita com mais confiança e com base em informações seguras.

Como o Blockchain funciona na prática?

Existem quatro tipos de Blockchain:

  • público: qualquer pessoa pode participar do consenso;
  • consórcio: o processo de consenso é controlado por um grupo, e o direito de participar pode ser público ou restrito;
  • privado: uma empresa controla o acesso e o uso das informações;
  • semi-privado: o acesso é controlado por uma empresa e pode ser concedido a qualquer um que cumpra os requisitos estabelecidos.

No início de uma transação, vários computadores, passam a participar do processo para validar a operação. A validação se dá por meio de cálculos matemáticos de um código de criptografia chamado “hash”, que interliga os blocos. Os nós computam isso e são recompensados em Bitcoins.

Depois que é validada, essa operação é armazenada em um “livro”, com todos os blocos em ordem cronológica e com códigos de segurança. A confiabilidade das informações se dá porque cada bloco possui um hash próprio e o hash do anterior.

Conclusão

Blockchain não é um conceito fechado, e sim, um termo que define uma forma de validar transações. Por isso, pode ser implementado em bancos de dados e até mesmo em planilhas eletrônicas, desde que sejam respeitadas as regras de criptografia e a comunicação entre os envolvidos.

Essa tecnologia é uma das mais relevantes dos nossos tempos e já está protagonizando diversas aplicações e iniciativas em diversos setores diferentes para garantir melhor administração de informações, transparência, economia de tempo e segurança.

O Blockchain é um conceito importante que deve ser considerado por empresas que buscam melhorias nos seus processos. Agora que você já sabe mais sobre essa tecnologia e seus benefícios, entre em contato conosco para conhecer uma ferramenta que vai ajudá-lo a conseguir algumas das vantagens citadas na gestão do varejo.

O valor da informação para o varejista

Você consegue imaginar o mundo atual desconectado e sem comunicação? Todos os dias, nos deparamos com algo novo sobre os mais variados assuntos em redes sociais, blogs e sites, o que nos faz compreender o alto valor da informação.

Diariamente, o volume de informações produzidas por esses canais virtuais alimenta os diversos segmentos sobre o comportamento do consumidor e suas preferências por produtos ou serviços. Isso é importante para um varejista se manter no mercado e alcançar cada vez mais seu público-alvo e satisfazê-lo.

Foi pensando nisso que preparamos este post, para que você, varejista, tenha real ciência do quanto a informação pode ser uma aliada estratégica na alavancagem do negócio e subsidiar a tomada de decisão sobre os projetos futuros! Boa leitura!

Como agregar o valor da informação ao setor de varejo?

As inovações tecnológicas causaram uma revolução mundial ameaçando os varejistas e todas as empresas sem apelo virtual ou que ainda caminham a passos lentos na adequação a um novo meio de abordar o consumidor.

Embora pareça existir uma oposição entre o comércio varejista de loja física e o de loja virtual, o que se apura sobre o perfil do consumidor — faixa etária, sexo, alvo de consumo, percepções quantitativas e qualitativas — provém dos dados de um sistema de informação centralizado.

Existem softwares específicos para colher dados e transformá-los em informações, gerando relatórios reais e confiáveis para o negócio.

Apesar de a tecnologia permitir aos sistemas de apuração uma boa autonomia de gestão, é fundamental planejar as ações de modo a direcionar a informação e canalizar para o negócio da empresa as verdadeiras oportunidades de conversão em vendas, sem esquecer os pontos de melhoria.

O valor da informação interliga a filosofia da empresa, a missão e os valores, permitindo um filtro natural para o entendimento tanto das variáveis econômicas e mercadológicas como também do comportamento do consumidor.

Ao utilizar a tecnologia e toda a novidade que ela tem a oferecer ao varejo, você terá propriedade para promover o levantamento de dados, apuração, compilação e geração de relatório gerencial, construindo uma base informacional capaz de determinar os rumos do seu negócio de forma transparente e assertiva.

Os consumidores enxergam mais valor e se identificam mais com empresas que conhecem seu comportamento e suas necessidades. A partir dessa visão holística dos hábitos de consumo, é possível encontrar oportunidades de inovação nos produtos ou processos, desencadeando tendências de oferta.

Antecipar-se ao cliente é uma forma de encantá-lo e demonstrar real interesse pelas dores que o acometem na tentativa de sanar suas necessidades oferecendo um conjunto de possibilidades que direcionem para a composição do catálogo de produtos e para o que ele realmente deseja adquirir.

Como fazer uma boa gestão de varejo com base no valor da informação?

Já sabemos que há um movimento comportamental do consumidor indo na contramão das lojas físicas, então o que fazer para não perder vendas e continuar no radar do consumo? É fundamental fazer essa análise e se munir de informações, antes de tomar qualquer decisão.

Com a economia ainda oscilante e a baixa no volume de compras, a movimentação do consumidor no mercado pode dar uma ideia de quais estratégias de vendas utilizar para que o varejo tenha uma performance positiva e rentável ao final de um período. Para isso, o fundamental é medir.

Defina por etapas quais são seus objetivos ao se valer da informação como parte do seu processo de fidelização e retenção de clientes. Então, utilize de forma prática todo o conteúdo gerado em relatórios, como pano de fundo para ações de diferencial competitivo.

A melhoria da gestão dos processos internos é um dos pontos prioritários, pois, ao entender as deficiências do seu negócio, você poderá promover mudanças e oferecer ao consumidor uma experiência mais linear, sem ruídos e com foco exclusivo em suas necessidades.

Confira algumas áreas em que o valor da informação poderá ser visto de forma complementar e agregada!

Logística e estoque

Se você souber antecipadamente sobre o poder de giro de um produto, certamente fará um melhor controle e gestão do estoque. Isso pode influenciar no processo logístico dentro da loja ou no transporte de mercadorias. Desse modo, as compras para reposição poderão ser melhor programadas.

Ponto de venda (PDV)

A identidade visual é muito importante para ajudar o consumidor a se situar quando entrar na sua loja. Independentemente da sazonalidade ou da concorrência, se você souber quais são os produtos de grande procura ou com volume de vendas elevado, conseguirá estabelecer um PDV adequado.

Experiência do consumidor

O consumidor da atualidade é exigente e volúvel, mas também inteligente quando o assunto é comprar por um preço justo e qualidade elevada. Além do interesse pelo produto em si, procure o que atrai a atenção e a fidelidade do cliente — agilidade no atendimento, informativos promocionais, descontos por pontuação, entre outros.

Uma pesquisa de satisfação, um canal de atendimento SAC ou o cadastramento do cupom fiscal para participar de promoções talvez sejam boas estratégias geradoras de informações, uma vez que o cliente precisa preencher alguns dados pessoais para avançar dentro do site.

Segurança de dados

A informação funciona hoje de forma instantânea e intuitiva, quase que como uma moeda de troca, e precisa ser tratada com muita responsabilidade por quem se apropria dela para impulsionar o negócio. Muitas pessoas ainda veem com desconfiança a necessidade de informar seus dados pessoais em sites de compras.

O seu posicionamento claro sobre as intenções de uso dessas informações e também suas ações mercadológicas de total disponibilidade para atender aos anseios dos consumidores serão fundamentais para gerar segurança e credibilidade.

Conclusão

Não se pode negar a influência predominante da tecnologia em todos os aspectos da vida humana. Por isso, não é recomendável remar contra uma maré que não favorece. Busque alternativas e ferramentas adequadas para inserir o seu negócio nesse contexto, sem perder a essência do trabalho desenvolvido até então.

Uma referência complementar do assunto é o livro Administração de Varejo, de Fauze Mattar. A obra é um manual que orienta o varejista a uma gestão de sucesso para tomada de decisões fundamentadas, o que reflete inclusive na satisfação do cliente.

No varejo, não se pode abandonar velhos hábitos de sucesso, porém é possível se reinventar a todo momento, abrindo oportunidade para a inovação, valendo-se dela não como escudo, mas como aliada em uma corrida contra um concorrente invisível — mas a cada dia mais previsível.

Agora que você entende melhor sobre o valor da informação no universo varejista, que tal entrar em contato conosco para agendar uma consulta sem compromisso? Ficaremos muito contentes em apresentar as soluções para o seu negócio!

Que impactos a segurança de dados gera no varejo?

Recentemente, um grande e-commerce de calçados e itens desportivos foi alvo de um ataque que vazou dados de cerca de 2 milhões de clientes na rede. Isso nos faz refletir acerca da importância da segurança de dados no varejo.

Neste post, vamos listar alguns desafios enfrentados pelas empresas que precisam se proteger do ataque de cibercriminosos e qual atitude devem tomar para manter seus dados e o de seus clientes a salvo dos hackers. Continue a leitura e confira!

Desafios enfrentados

O mercado digital tem sido responsável por abrir um leque de novas oportunidades para as empresas de varejo. No entanto, aquelas que se aventuram na rede devem estar cientes dos riscos e buscar se proteger contra ataques e fraudes.

Mesmo com o crescimento da atuação de cibercriminosos, manter-se ativa na internet ainda tem grandes vantagens para as empresas de varejo, como aumento das vendas, captação de mais clientes, entre outros benefícios. Dentre os principais desafios enfrentados na área de segurança, estão:

Vazamento de dados

Assim como no caso descrito anteriormente, um cenário de vazamento de informações — sejam dados de clientes sob a tutela da empresa ou os próprios dados internos desta — é altamente prejudicial.

A privacidade dos dados de consumidores é protegida por lei, e, conforme o volume de informações vazadas, podem ser protocolados diversos processos contra a empresa por irresponsabilidade acerca da segurança.

Perda de confiança

Empresas de varejo, que são vítimas de vazamento de dados ou têm seus servidores invadidos, acabam por demonstrar que não tomaram as precauções necessárias a fim de evitar essas situações.

Tais fatos desgastam a imagem da empresa perante os clientes, que não se sentem seguros em fornecer suas informações pessoais, e possíveis investidores, que acreditam que a empresa não está sendo administrada corretamente.

Sequestro de informações

As falhas de segurança podem implicar no sequestro de informações. Nesse caso específico, os hackers não roubam os dados, mas criptografam o conteúdo dos servidores por meio de falhas dos sistemas.

Dessa maneira, os cibercriminosos pedem um resgate, geralmente um valor expresso em Bitcoins, pois a moeda virtual não é rastreável, fazendo com que a empresa fique refém da ação dos hackers.

Falhas humanas

Outro ponto a ser enfrentado é a falha humana. Colaboradores sem treinamento e conhecimento acerca de políticas de segurança acabam por se tornar alvos fáceis de criminosos.

Entre as táticas utilizadas contra esses profissionais está o phishing, uma técnica que consiste em enviar um e-mail falso com um link suspeito que, quando acessado, instala um malware criado pelo criminoso, roubando dados.

Como garantir a segurança

São diversos os desafios enfrentados pelas empresas de varejo para manter a segurança de dados e evitar qualquer tipo de falha e vazamento. Para se proteger, muitas companhias buscam utilizar softwares de gestão confiáveis.

Sistemas como esses já contam com modernas tecnologias de proteção e mantêm os dados internos da empresa e as informações acerca de seus clientes a salvo de ataques e tentativas de invasão.

Esperamos que, ao finalizar a leitura deste post, você possa ter compreendido a importância da segurança de dados para empresas de varejo e que investir em um bom sistema de gestão é a maneira mais simples de se manter protegido.

A Lumi Software conta com soluções inteligentes capazes de fornecer praticidade e segurança para a sua empresa. Entre em contato conosco agora e veja o que podemos fazer por você!

Por que todas empresas devem investir na segurança de dados?

As ocorrências de invasões e furto de dados têm crescido assustadoramente nas pequenas e médias empresas, com hackers mais astutos e ameaças piores a cada dia. Vítimas dessa situação vivem momentos de constrangimento, frustração e insatisfação. E tudo isso está ligado diretamente à segurança de dados que se coloca em um sistema.

Diante de um cenário em que tanto a tecnologia como a informação se tornaram imprescindíveis em uma corporação — como o uso no marketing, na área de vendas, financeiro e na automatização de processos —, é necessária a preservação da confidencialidade e integridade de dados sigilosos. Portanto, ter uma infraestrutura bem formada que resguarde e transmita confiança para as pessoas é muito importante.

Pensando nisso, vamos mostrar a você os maiores motivos para que se invista nessa área da sua companhia e você tenha muito mais tranquilidade na hora de armazenar informações. Confira!

Exposição e vulnerabilidade

As ameaças cibernéticas são as mais comuns nas empresas, devido à facilidade e a sensação de impunidade que muitas vezes a internet oferece aos invasores. Isso pode deixar a companhia de mãos atadas, tendo de lidar com problemas irreversíveis. Nessa situação a melhor atitude é adotar medidas preventivas.

Existem diferentes formas e tipos de ataques virtuais. Entre os problemas que os ataques cibernéticos trazem, estão listadas ocorrências de rastreamento de dados da organização, vírus e malwares nos computadores e exposição de arquivos sigilosos. Podem, inclusive, deixar todo o negócio comprometido e fora do ar.

Risco de processos jurídicos

É preciso lembrar que a empresa tem responsabilidades cíveis e penais para com os dados dos clientes.

Portanto, se não houver um bom sistema de segurança de dados e, consequentemente, arquivos forem corrompidos ou vazados para a internet, isso poderá trazer ações judiciais, por iniciativa dos clientes prejudicados. Para evitar tais consequências jurídicas, é preciso ficar atento a esse aspecto, a fim de evitar eventuais problemas e gerar graves prejuízos financeiros à companhia.

A imagem da companhia

Analisando pelo lado ético (tomando como referência a idealização criada pela sociedade) e mercadológico, ter uma forte segurança digital demonstra aos clientes e potenciais compradores uma corporação preocupada e que preza pelo sigilo e cuidado com os seus clientes criando uma reputação favorável para a sua empresa.

Você já pode imaginar o tanto que isso qualificará seu negócio e aumentará sua competitividade em relação às outras empresas do setor.

Interrupção do funcionamento da empresa

Pode parecer um pouco absurdo, mas toda vez que acontecem ataques e ameaças contra a segurança da informação, as funções que dependem disso simplesmente param até que seja solucionado o incidente, causando falhas no funcionamento correto dos setores e atrasando toda produtividade.

Quando esse imprevisto ocorre, notas fiscais, vendas, cadastramento de pessoas e fornecedores, entre outros, ficam impossibilitados de serem usados. Na indústria, pode afetar inclusive o setor de produção, danificando muitos componentes dela.

Dicas e recomendações

Agora que você viu o quanto pode prejudicar sua companhia se deixar de lado a segurança das informações que nela existem, comece a tomar as providências necessárias para a preservação dos dados e prevenir o comprometimento do funcionamento da empresa.

Recomendamos leituras mais aprofundadas também, como os livros: “Trilhas em Segurança da Informação”, de Carlos Cabral; e “Segurança de Dados: criptografia em rede de computador”, escrito por Routo Terada.

Se gostou de aprender sobre segurança de dados e os motivos de investir nessa área, então, não se esqueça de nos seguir nas redes sociais e ter acesso a conteúdos exclusivos!

Segurança de dados: como se proteger dos ataques cibernéticos?

Os ataques cibernéticos, infelizmente, ainda são muito comuns e fazem parte do “lado negro” da internet, podendo trazer muita dor de cabeça. Por isso, pensar em soluções que reforcem a segurança de dados faz parte do dia a dia de quem procura se prevenir.

Pensando nisso, separamos um conteúdo bastante pertinente sobre a segurança de dados e sobre como se proteger desses ataques. Então, se você se interessou e quer saber mais, continue a leitura e aproveite.

Sequestro de dados

Como o objetivo final de quem comete esse crime é conseguir dinheiro, o roubo de dados costuma ser uma forma de ataque bastante utilizada. Isso acontece quando os hackers conseguem acesso às informações de valor e as extraem do banco de dados original, impedindo que o verdadeiro dono consiga ter acesso a elas.

A prática mais comum para a execução do sequestro de dados é o uso de um ransonware, nome dado ao tipo de software nocivo que restringe o acesso à máquina infectada da vítima até que ela pague pelo resgate (ranson, em inglês) do seu equipamento.

De acordo com dados do FBI, aproximadamente 3 bilhões de reais foram pagos em resgates a máquinas infectadas por algum tipo de ransonware, o que dá uma ideia da gravidade do problema.  Em geral, o ataque ocorre por meio de um e-mail malicioso — como os que se passam por bancos e solicitam o download de um suposto programa de proteção —, ou websites.

E como é possível se precaver?

Apresentaremos abaixo 5 atitudes utilizadas para aumentar a segurança de dados da sua empresa, por isso, fique atento a todas elas.

1. Invista em um software com um bom sistema de segurança

Da mesma forma que uma casa sem boa estrutura não é um local confiável, uma empresa que não conta com um software de segurança com um padrão rigoroso de atualizações fica muito mais exposta a vulnerabilidades.

Para entender quais são as soluções mais atualizadas do mercado, converse com especialistas de outras empresas e a da Lumi Software, leia matérias e faça comparações de preços. Com um pouco de pesquisa, rapidamente se encontra o produto que melhor se ajuste às necessidades do seu negócio.

2. Desenvolver uma política de segurança da informação

Como ocorre em quase todas as áreas, a grande maioria das falhas acontecem devido a erro humano, muitas vezes por falta de informação. Como diz o ditado: conhecimento é poder.

Portanto, desenvolva uma política de segurança da informação, explicando aos colaboradores as principais ameaças que podem ser encontradas — no mundo físico ou  na web — e como eles podem se prevenir.

3. Instruir os funcionários e incentivar a adoção da política

Com a política criada, a estratégia é fazer com que todos leiam, compreendam e apliquem o que está no documento. Para isso, todas as lideranças precisam estar de acordo com as normas da política, executá-las e incentivar seus subordinados a fazer o mesmo.

É possível que, dependendo da área, alguma flexibilidade no acesso ou download de arquivos precise existir. Nesses casos, é sempre importante alinhar com o gestor a explicar aos colaboradores o porquê da exceção.

4. Realizar periodicamente os updates de segurança

Efetuar as atualizações recomendadas pelo próprio sistema operacional ou pelo software de segurança é uma prática importante para garantir que sua máquina esteja o mais protegida possível de ataques externos.

Reforce com a equipe de TI a importância de atualizar todas as máquinas e procure desenvolver essa consciência dentro da empresa, para que a prática seja vista como uma forma positiva.

5. Bloquear o download automático

Uma dica prática, mas não menos importante, é configurar todas as máquinas para evitar o download automático de arquivos no navegador. Muitas vezes, o vírus entra por meio dessa transferência e o usuário, sem perceber que não baixou o arquivo que esperava, acaba executando-o e ativando a ameaça.

Apresentamos acima algumas dicas para aumentar a segurança e conscientização da empresa sobre as formas mais comuns de ataques cibernéticos e como eles podem ser reduzidos.

Ebook: Segurança de dados em supermercados: o que fazer para garanti-la?

Gerir uma empresa é um dos grandes desafios da vida de um empreendedor. Especialmente no caso daqueles que resolvem se aventurar no ramo de supermercados, a rotina envolve inúmeras responsabilidades, dentre elas assegurar a segurança de dados de seu negócio.

Se você é dono de um supermercado, com certeza já sabe o quanto essa questão é vital para o seu empreendimento. Afinal, nos dias de hoje, com o desenvolvimento da internet e novas tecnologias, proteger o negócio e suas informações é uma ação que exige estratégia e o uso das ferramentas adequadas.

Para receber nosso material faça o download grátis

Clique aqui