Como utilizar o music branding no varejo?

Você já deve saber que, para o seu negócio crescer no mercado, é imprescindível estudar e seguir algumas estratégias certeiras. Uma delas é o branding: a gestão de sua marca.

Mas vale dizer que essa gestão pode ir muito além de acertar nas cores e nas ideias atreladas à sua marca, otimizando-se os seus resultados e promovendo a sua empresa de uma maneira extremamente marcante. Isso pode ser exercido unindo o branding com o marketing sensorial, resultando no chamado music branding.

Para que você impulsione seus negócios, vamos explicar exatamente o que é o music branding e como utilizá-lo no seu varejo, confira:

Entenda o que é music branding

Antes de esclarecer o conceito na íntegra, vamos explicá-lo por partes.

O branding é a estratégia empregada para gerir a imagem de sua marca. Por meio dele, o seu público acaba construindo uma representação e opinião positiva sobre seus negócios, e ainda consegue demarcar a diferenciação de sua empresa com os seus concorrentes.

Já o marketing sensorial é um conjunto de ações que utiliza os sentidos para que seus clientes “conectem” a sua marca a uma determinada fragrância, gosto ou sonoridade. Quando você trabalha apropriadamente o aroma e a iluminação de sua loja, você já está trabalhando com o marketing sensorial.

E quando você aproveitar o som junto com as ideias que deseja imprimir à sua marca, estará desenvolvendo estratégias de music branding. Em outras palavras, vai lidar com um conjunto de músicas, que serão definidas de acordo com a sua marca e com os objetivos que você quer alcançar no mercado e com seu público-alvo.

Saiba como usar o music branding no varejo

Existem várias formas de utilizar o music branding no varejo. Ao planejar e criar uma estratégia baseada nessa ferramenta, ela necessita ser muito bem analisada para conseguir os resultados esperados. Conheça algumas formas de utilizá-la:

Para criar identidade para a sua marca

Já se deu conta de que em algumas lojas sempre estão tocando o mesmo tipo de música ou som? Isso é feito para que você identifique aqueles estilos musicais com o posicionamento da empresa no mercado.

Geralmente, a playlist escolhida é determinada com base nas concepções e ideários que uma dada marca quer transmitir para o seu consumidor. Ela também está diretamente ligada com o público-alvo que se deseja atingir.

Por exemplo: uma marca juvenil deverá aproveitar músicas juvenis, como o pop, o rock ou algo mais moderno. Entretanto, uma empresa que trabalha com trajes sociais deverá optar por um som clássico e/ou de leve música ambiente.

Para aumentar as suas vendas

Estudos comprovam que a música ajuda no tratamento de algumas doenças, aumenta a sua produtividade, e também pode ser uma grande aliada na hora de aumentar as suas vendas. Ela é extremamente útil dentro do ponto de venda, pois é ali que os consumires decidem se vão comprar ou não as mercadorias que estão visualizando. As músicas que estão tocando podem influenciar em sua decisão de compra.

Não existe um tipo de música específico que vai aprimorar os seus resultados rapidamente. Mas é sabido que as playlists mais agitadas aceleram as pessoas, o que significa que poderão aumentar o número de compras por impulso. Já as playlists que exibem músicas mais calmas fazem as pessoas agirem com mais vagar, olhar os produtos com tranquilidade e passar mais tempo dentro da loja.

Para fixar bem, então: ao criar sua atmosfera de compra e utilizar-se do music branding, nunca se esqueça de levar em consideração alguns pontos importantes: o atual posicionamento de sua marca; o público-alvo que quer atingir; e os objetivos de vendas.

Analise esse três pontos detalhadamente, para finalmente definir qual o tipo de som deverá tocar dentro de seu varejo.

Para potencializar ainda mais a sua estratégia, fique por dentro de tudo o que acontece nas nossas redes sociais. Estamos no Facebook e também no Linkedin. Segue lá!

Horários de Funcionamento durante Carnaval 2017!

 

Prezados clientes e parceiros, em decorrência do carnaval, a seguir, informamos nossos horários neste período:

 

SUPORTE TÉCNICO

Segunda-Feira – 27/02/2017 – Carnaval – Não haverá expediente, atendimento através do nosso Portal de atendimento WEB – abertura de chamado;

Terça-Feira – 28/02/2017 – Carnaval – Não haverá expediente, atendimento através do nosso Portal de atendimento WEB – abertura de chamado;

Quarta-Feira – 01/03/2017 – Cinzas – Expediente volta as suas atividades normais a partir de 13:00h.

 

ÁREA COMERCIAL

Segunda-Feira – 27/02/2017 – Carnaval – Não haverá expediente;

Terça-Feira – 28/02/2017 – Carnaval – Não haverá expediente;

Quarta-Feira – 01/03/2017 – Cinzas– Expediente volta as suas atividades normais a partir de 13:00h.  

 

ÁREA FINANCEIRO

Segunda-Feira – 27/02/2017 – Carnaval – Não haverá expediente;

Terça-Feira – 28/02/2017 – Carnaval – Não haverá expediente;

Quarta-Feira – 01/03/2017 – Cinzas– Expediente volta as suas atividades normais a partir de 13:00h.  

 

Ebook: Manual da reposição de estoque em datas especiais!

Ao longo de um ano, muitas são as datas comemorativas que podem ser aproveitadas pelo varejo. O mercado se aquece seja por feriados tradicionais até por novidades, como a Black Friday.
Para o varejo, isso é especialmente importante, já que traz novas oportunidades de vendas e lucros. Porém, para que as datas especiais e comemorativas ofereçam os resultados de vendas e faturamento tão desejados é fundamental ter uma atenção diferenciada para o estoque.

Para receber nosso material faça o download grátis clique aqui.

Marketing de varejo: quais lições a Amazon pode dar para um pequeno varejista?

Para quem não sabe, a Amazon começou sua história dentro de uma garagem e hoje é um dos maiores e-commerces do mundo, vindo a faturar bilhões de dólares por ano. Sua história de crescimento é recheada de lições que todo varejista devia levar para seus negócios. Afinal, são grandes exemplos de oportunidades para aperfeiçoar a empresa, as estratégias e operações.

Se você quer transformar o seu negócio em uma empresa de sucesso, pode (e deve) se inspirar na história desse gigante da internet. Conheça algumas das lições da Amazon para aumentar os seus resultados e melhorar seu marketing de varejo:

Tenha uma visão de longo prazo

Um erro bastante comum dos pequenos varejistas é não pensar a longo prazo, fato que não aconteceu com Jeff Bezos, o fundador da Amazon. Assim que ele iniciou seu e-commerce, vendendo livros, já tinha seus planos de marketing de varejo e expansão do negócio, a fim de se tornar o gigante que é hoje em dia.

Por menor que o seu negócio seja atualmente, pense no futuro. Imagine aonde quer estar e quanto você deseja faturar daqui a 5 anos. Faça disso o seu objetivo. Você já terá um ponto de partida para planejar as suas ações durante os próximos anos. E lembre-se: o planejamento é crucial para o crescimento de um negócio e para adequadas iniciativas de marketing de varejo.

Ter visão de longo prazo é uma ótima ferramenta para conseguir se localizar bem no cenário atual e traçar o caminho a seguir.

Crie um atendimento excepcional

Um dos grandes diferenciais da Amazon é o seu atendimento excepcional. Desde o início, a empresa responde a todas as reclamações e demandas de seus clientes. Em poucas horas. Isso é fantástico, levando em consideração que ela possui milhares de clientes e recebe incontáveis e-mails e comentários diariamente.

No varejo de menor porte, espera-se que o volume de mensagens com reclamações ou elogios seja bem menor do que a quantidade recebida pela Amazon. O que significa que você também é capaz de respondê-las, uma por uma. Mas é importante frisar que a resposta nunca exiba o tom de algo automático: ela deve ser única e direcionada para cada cliente.

Quando o assunto for reclamações, resolva os problemas. Mas resolva mesmo!

Se forem elogios, agradeça. Neste caso, você ainda poderá oferecer uma vantagem extra para garantir a fidelização do cliente.

Não tenha medo de inovar

O novo sempre atrai diversos clientes. Portanto, não tenha medo de inovar em seus negócios; este aspecto pode ser a porta de entrada para o seu sucesso, se for bem trabalhado.

Por exemplo, vale a pena considerar o que aconteceu com o Kindle. A Amazon lançou esse gadget em 2007 e o comercializou com um preço bem em conta. Afinal, o intuito era que os consumidores que adquirissem o Kindle começassem a consumir os livros digitais vendidos pela Amazon.com. O resultado foi um aumento no faturamento proveniente dessa inovação tecnológica.

Se você tem uma ideia diferente e original, analise como poderia introduzi-la no mercado.

Cuide bem de seus clientes

Por último, porém não menos importante, a Amazon continuamente releva seus clientes em primeiro lugar. Alguns varejistas já perceberem que cuidar bem da clientela poderá fazer toda a diferença para seu negócio: um cliente satisfeito acaba fidelizado, volta a comprar e ainda ajuda a divulgar a sua empresa. Sem custos extras para o varejista, sem investimentos a mais em estratégias de marketing de varejo.

Para conseguir isso, é simples: conheça seus clientes, saiba compreendê-los e se coloque no lugar deles sempre que possível. Com tal postura, você já pode começar a oferecer o que eles realmente desejam e estreitar os laços de relacionamento. E é exatamente isso que Jeff Bezos faz com seus clientes.

Se você ambiciona empreender e crescer, aprenda com a história da Amazon.  Aproveite para baixar nosso ebook grátis Guia Prático: Otimize Processos na sua Empresa de Varejo!

Quer saber mais sobre nossa empresa e produtos? Clique aqui e acesse nosso site.