Saiba como um software de gestão ajuda no Planejamento Tributário!

Com a informatização de todos os processos de uma empresa, grande parte dos procedimentos internos de uma entidade foram obrigados a serem alterados. Essas alterações foram para melhor na maioria dos casos. No caso dos tributos, houve aumento na carga de trabalho, mas esta informatização também permitiu o planejamento tributário de maneira muito mais eficaz. É a consequência da informatização dentro do setor fiscal: a possibilidade de menos pagamentos de impostos sem passar por cima de nenhuma lei. Continue acompanhando o post de hoje e saiba mais sobre o planejamento tributário!

A importância do planejamento tributário

Antes mesmo de uma empresa iniciar as suas atividades, é importante que um gestor tributário já pense no recolhimento dos tributos. Isso porque não há como evitar tais pagamentos e, caso não haja planos para isso, até mesmo a continuidade operacional poderá ser comprometida no longo prazo.

Por isso, é recomendado que, desde as primeiras operações, a entidade utilize um software de gestão online que cubra a parte fiscal ou um ERP, que é um software que integra todos os setores de uma empresa, tornando-se ferramenta fundamental no planejamento tributário.

O planejamento tributário ano a ano

Não é só no momento de abertura ou antes do seu início propriamente dito, com os planos de faturamento, que os sócios e gestores devem se preocupar com os regimes de tributação em que a empresa se enquadrará. Essa preocupação deve ser constante e com base no faturamento da entidade durante o ano todo.

Isso porque, uma vez ao ano, os gestores poderão escolher o regime tributário a ser seguido pela empresa durante o ano-calendário, que vai de janeiro a dezembro. Feita esta escolha com base no histórico e no que se espera para o futuro do negócio no ano seguinte, espera-se apenas pagar a quantia justa e necessária pela entidade.

A ajuda dos softwares de gestão online

Esse planejamento realizado ano a ano apenas é possível por causa da integração total consequente da uso dos softwares de gestão online ou ERPs. Eles possuem a prerrogativa de integrarem todos os setores de uma entidade.

Com isso, há a garantia de que a parte financeira estará totalmente ingressada nos sistemas de uma empresa, confirmando que as informações usadas como base para o planejamento tributário por parte dos gestores são confiáveis.

Esses programas realizam essa análise e escolhem não somente o regime de tributação, mas os locais de instalação de futuras plantas fabris e até a quantidade de funcionários com base no planejamento tributário.

O planejamento tributário responsável pelo crescimento dos lucros

Com este estudo prévio até da folha de pagamento, são utilizados os incentivos e os benefícios tributários ao máximo, deixando a empresa com o máximo de eficácia empresarial graças ao uso constante e atualizado de um software de gestão online.

O planejamento tributário não é uma opção, é praticamente uma obrigação para as empresas que pretendem se manter ativas e crescendo em um mercado cada vez mais competitivo. É necessário um alto nível de especialização por parte das pessoas que realizam as atividades nos setores fiscais das empresas, mas o uso de um software de gestão online é um suporte imprescindível para que bons resultados sejam alcançados.

Gostou desse artigo sobre software de gestão ajuda no Planejamento Tributário? Leia também esse artigo sobre Automação comercial: quais as principais vantagens dessa ferramenta?

Clique aqui e conheça nosso software para Automação Comercial.

 

 

 

Vedação de lacração inicial de ECF

Prezados clientes, segue comunicado encaminhado pela SEFAZ.

Informamos que a partir de 01/07/2016 também não poderá inicializar o uso de ECF o contribuinte sob qualquer regime de apuração de imposto diferente do Simples Nacional, lembrando que Normal não pode desde 01/01/2016. 

O Simples Nacional com faturamento acima de R$ 1.800.000,00 também não poderá inicializar o uso de ECF. 

Vide portaria 234/2014.

4 tendências do varejo para o empreendedor ficar de olho em 2016

Todos os dias, surgem novidades que podem impulsionar seu negócio. É preciso estar atento às mudanças para inovar sempre. Buscando fazer um balanço de tendências do contexto varejista, a Federação Americana de Varejo (National Retail Federation, a NRF) organiza anualmente um grande evento onde são debatidos temas atuais e relevantes sobre o presente e o futuro do varejo mundial. Confira agora algumas tendências do varejo que se destacaram durante a edição 2016 do NRF Big Show e podem abrir caminho para novas ideias em seu empreendimento.

1 – Experiência de Compra

Este ponto pode parecer sofisticado e distante da realidade de empreendimentos como supermercados. Porém, construir uma boa experiência de compra nada mais é que criar uma forma de conduzir a passagem do consumidor pelo estabelecimento criando boas lembranças e impressões.

Tudo o que o cliente sente, ouve, vê e interage dentro de seu estabelecimento é levando em consideração, desde a limpeza do ambiente até o bom-humor do caixa que o atende. Pensar na experiência do consumidor é importante pois contribui diretamente na retenção deste cliente e na forma como esse vai apresentar o estabelecimento para as pessoas ao seu redor.

Os consumidores estão cada vez mais exigentes e determinados a compartilhar suas experiências boas e ruins, tanto pessoalmente como por meio de redes sociais.  Portanto, criar as melhores experiências é um ótimo negócio!

2 – Presença Mobile

De acordo com dados do IBGE, os smartphones são os dispositivos mais usados por brasileiros para acessar a internet. Estes dados revelam uma oportunidade: se aproximar do cliente por meio do universo mobile é algo que já faz parte de sua rotina e é percebido por muitos como algo essencial.

Trabalhar com o contexto mobile é uma forma de promover interatividade da sua marca com o cliente. Alguns especialistas consideram que é uma ação praticamente obrigatória no cenário atual. Além disso, por meio do mobile, é possível direcionar melhor o conteúdo,  promovendo um atendimento otimizado.

3 – Omnichannel

“Omni” significa “todo”, e o termo Omnichannell refere-se à integração da gestão de todos os canais de venda utilizados pela empresa — como PDV e e-commerce, por exemplo.

A integração dos canais é um fator que contribui para o crescimento e competitividade da empresa perante os outros players do mercado, além de gerar dados que podem direcionar a estratégia de forma unificada.

4 – Precificação Dinâmica

Aplicar variações de preço conforme os valores da concorrência ou baseado em demandas diárias da própria empresa é uma das tendências que tem se destacado. Empresas que já tem utilizado a precificação dinâmica sugerem como melhores práticas a implementação progressiva desta estratégia, buscando sempre coletar feedbacks para melhoria dos processos.

É importante que a implementação conte com apoio direto da alta direção da empresa, para contribuir com o engajamento da equipe. Para a realização desta ação de forma efetiva, é necessário que a empresa conte com serviços automatizados de gestão de varejo integrado.

Veja o artigo a seguir sobre: Entenda a importância da Gestão de Processos na sua empresa. Quer saber mais sobre nossa empresa e produtos? Clique aqui e acesse nosso site.

 

 

5 erros na gestão do varejo que você não pode cometer!

Fazer a gestão do varejo envolve diversos processos de extrema importância para o sucesso do seu negócio. Quando ela não é eficiente, o resultado pode ser desastroso. Já quando feita da forma certa, pode ajudar muito no crescimento das vendas.

Para escapar dos erros é preciso estar atento a tudo o que acontece na sua empresa e também nos concorrentes, a fim de realizar ações mais efetivas.

Preparamos este post com alguns erros que não devem ser cometidos em sua empresa e como evitá-los da maneira mais fácil. Continue acompanhando e confira!

1. Não deixar a equipe de vendas alinhada com a de marketing

Todos devem falar a mesma língua. De nada adianta fazer um marketing atrativo se os vendedores não estiverem cientes das campanhas ou não souberem como fechar a venda.

Sempre mantenha os vendedores atualizados sobre tudo o que está sendo feito e também sobre as futuras campanhas de marketing, para que eles estejam preparados para lidar com a demanda e tenham bons argumentos para fechar o negócio.

2. Não ter metas

As metas são o que ajudam a determinar um objetivo e é em prol delas que os funcionários trabalham. Por isso, elas devem ser estabelecidas com cuidado, antes de qualquer coisa.

Preste atenção neste ponto, pois não adianta criar uma meta muito alta quando não há condições de alcançá-la. Além disso, se há diversas lojas em diferentes regiões, você não pode querer que todas tenham a mesma meta. Deve-se estabelecer cada uma de acordo com o histórico da loja, considerando seu desempenho individual.

3. Não considerar o estoque na gestão do varejo

Saber quantos produtos têm e a saída de cada um deles é fundamental para gerenciar o estoque, evitando que haja falta de alguns itens ou que outros fiquem guardados por muito tempo, correndo o risco até de passarem da data de validade.

Os itens que saem mais precisam de uma reposição mais rápida e os que possuem menor saída não podem ser comprados em grande quantidade para não ocupar espaço e elevar o custo da armazenagem.

Produtos perecíveis e com validade devem ser organizados de forma que os que vencerão primeiro sejam comercializados antes.

4. Não investir em tecnologia

A tecnologia veio para auxiliar e, no caso do varejo, pode ser um ponto positivo para diversas áreas. Ela pode não apenas ajudar no controle do estoque, mas também agilizar a parte financeira, a identificação de oportunidades, entre outras funções.

Ao utilizar sistemas específicos, há um melhor controle das informações, garantindo que elas fiquem mais organizadas e acessíveis. Com isso, evitam-se erros comuns nos processos manuais e cria-se um histórico de tudo o que acontece na empresa.

5. Não pensar no cliente

Isso é óbvio: sem o cliente, não há venda. Por isso, é preciso estar sempre atento às necessidades dele, buscando formas de atendê-lo melhor.

Atente-se às mudanças nos hábitos de consumo, fazendo pesquisas de mercado com frequência para que a sua loja não fique ultrapassada e a gestão do varejo seja eficiente.

Gostou das nossas dicas de gestão do varejo? Então veja também por que um software de gestão pode ajudar sua empresa!

Nota sobre versão 2.04 do aplicativo SAC MOBILE

Prezado cliente, informamos que a partir de 11/07/2016, estará disponível a versão 2.04 do aplicativo “Sac Mobile”, que trará alteração na funcionalidade abaixo:

 

– Opção “ACUM.QTD” no menu: ENTRADA / CONTAGEM, passa a ser marcada como padrão.

 

 

Comunicado – Rejeição

Hoje a SEFAZ AN informa que está com problemas internos no seu servidor DF-e podendo ocorrer o erro a seguir: “Rejeição (555): Tipo autorizador do protocolo diverge do Órgão Autorizador

 

Orientamos aguardar a SEFAZ retornar as suas operações normais. Qualquer dúvida, entrar em contato com a SEFAZ.

 

 

Entenda a importância da Gestão de Processos na sua empresa

A gestão de processos pode ser definida como a interação entre as atividades que são desenvolvidas em uma empresa pelos seus diversos setores. Dessa forma, esse sistema gerencial transfere um olhar global para a companhia e não um modelo administrativo voltado para departamentos, seções e setores. Essa visão organizacional leva em consideração que as ações de uma empresa não são desenvolvidas apenas por determinados grupos, mas pelo envolvimento de diversos setores em um mesmo projeto.

Assim, podemos afirmar que a gestão de processos é uma forma de padronizar e melhorar a metodologia de trabalho adotada por uma empresa. Para isso, utiliza uma estratégia abrangente que garante a participação de todos os envolvidos — diretoria e colaboradores — na força de trabalho. Esse método garante mais comprometimento por parte dos empregados com a qualificação e melhoria das atividades desenvolvidas pela empresa.

Investimento em qualidade

O mercado é bastante competitivo e essa competição tende sempre a aumentar. Para manter a competitividade, uma empresa precisa desenvolver diferenciais e buscar a inovação. Nesse quesito entra a cultura da qualidade, que busca obter melhores desempenhos na cadeia produtiva, na oferta de serviços e, consequentemente, na qualidade das atividades que são desenvolvidas pelas organizações.

Investir em gestão de processos é buscar um modelo de melhoria contínua dos trabalhos corporativos — e isso com o envolvimento dos colaboradores. Esse modelo gerencial permite obter melhor desempenho nas diversas variáveis de um negócio: insumos e materiais em geral; informações, dados e conhecimentos; funcionários e colaboradores; máquinas e equipamentos; normas empresariais; e regras e procedimentos inerentes ao negócio.

Gestão de processos em dois modelos

O modelo mais tradicional de gestão de processos é o funcional, em que acontecem relações de subordinação e os processos de trabalho são fragmentados. Porém, devido a necessidade de otimizar o tempo e aumentar a produtividade, muitas empresas estão adotando o modelo sistêmico integrado.

Nessa metodologia as relações são mais dinâmicas e o trabalho em equipe ganha mais destaque. Assim, os funcionários acabam tendo uma visão e atuação mais abrangente durante as operações, pois não se limitam a executar apenas as suas funções principais. Esse modelo promove, ainda, uma mudança no pensamento organizacional.

O modelo de gestão de processos sistêmico integrado amplia o entendimento da empresa sobre os seus produtos e serviços, que passam a ser avaliados desde a sua cadeia produtiva. As organizações passam a investir em melhorias nos processos produtivos e de negócios, o que gera aperfeiçoamento nos produtos e serviços que são entregues aos clientes, além de otimizar o tempo de produção e reduzir os custos.

Os benefícios

Optar por fazer a gestão de processos faz com que a empresa consiga se antecipar, gerir e responder melhor às mudanças mercadológicas. Além disso, gera uma redução nos erros de produção, o que torna a empresa ainda mais competitiva. Com mais compreensão dos produtos e serviços, a organização passa a ter um nível de informação mais completo e que melhora as tomadas de decisões.

De modo geral, podemos afirmar que a gestão de processos reduz o tempo de ciclos dos processos, diminui custos, melhora a eficiência interna, melhora a qualidade do trabalho e aumenta a satisfação do cliente.

Gostou deste artigo sobre a gestão de processos? Leia também esse artigo sobre como fazer um planejamento estratégico. Clique e baixe gratuitamente nosso Guia Prático: Otimize os Processos na sua empresa de varejo!

Calendário de Promoções Lumi Scanntech – Mês de Julho

 

Venha participar das promoções regulares, organizadas e financiadas pelas principais industrias do Brasil, desenhadas especialmente para clientes Lumi e Scanntech!

Não perca tempo, entre agora em contato com um de nossos consultores, clique aqui. Caso já faça parte desse clube, aproveite as promoções incríveis desse mês de Julho!