Calendário de Promoções Lumi Scanntech – Mês de Junho

Venha participar das promoções regulares, organizadas e financiadas pelas principais industrias do Brasil, desenhadas especialmente para clientes Lumi e Scanntech!

Não perca tempo, entre agora em contato com um de nossos consultores, clique aqui. Caso já faça parte desse clube, aproveite as promoções incríveis desse mês de Junho!

5 excelentes dicas para superar a crise econômica no varejo!

Para superar a crise econômica no varejo, muitos empresários optam por realizar cortes em diferentes áreas do negócio acreditando que a contenção de gastos será suficiente para manter o empreendimento estável durante um período economicamente ruim. Entretanto, mesmo que essa estratégia seja reforçada por alguns setores, novas alternativas têm surgido como respostas mais eficazes para momentos de crise.

Períodos de crise exigem que o empresário continue a se atualizar para buscar alternativas mais modernas sobre como enfrentar esses momentos e, quando necessário, possa contar com o auxílio de empresas especializadas. Confira algumas sugestões de como enfrentar a crise no varejo!

1. Fidelização de clientes

A fidelização de clientes será fundamental para melhorar as vendas no varejo. Entretanto, a estratégia é indicada tanto para momentos de crise como para períodos de estabilidade. Algumas das possibilidades para fidelizar clientes são: cartões de crédito próprios da empresa que ofereçam vantagens aos clientes, descontos em produtos, cupons, entre outras coisas. Além dos benefícios econômicos, a fidelização depende da qualidade do atendimento, oferta de produtos e pós-venda.

Os clientes fiéis ao negócio podem representar até 60% da receita de um empreendimento, mesmo que esse índice varie, dificilmente haverá mudanças bruscas mesmo em um período de crise. Saiba identificar quem são esses clientes e ofereça vantagens e benefícios para que eles se mantenham fiéis ao seu negócio.

2. Investimento em atendimento

Tanto para fechamento da venda quanto para a fidelização do cliente, o atendimento é de extrema importância, independentemente da situação do mercado. No varejo, um atendimento ruim pode significar o abandono de uma compra, uma avaliação ruim ou mesmo a perda do cliente.

O treinamento da equipe de atendimento consiste em preparar para melhores abordagens, com uma equipe pronta para tirar dúvidas e saber resolver situações potencialmente problemáticas.

3. Reduções estratégicas de gastos

Inicialmente, dissemos que apenas os cortes não são suficientes para enfrentar uma crise financeira. O ideal é que a empresa seja capaz de reduzir gastos a partir de um planejamento estratégico, de forma que não prejudique a qualidade do negócio, seja no atendimento ou dos produtos em si, mas que possa gastar menos com itens dispensáveis para a continuidade do varejo.

Entre os exemplos de gastos que podem ser reduzidos em momentos de crise, podemos citar reformas, renovação de equipamentos, novas unidades do negócio etc.

4. Valorização da comunicação

As estratégias de comunicação visam aproximar o cliente e atrair possíveis consumidores para o negócio, então trate-as como um investimento e não um gasto. Meios que tenham como objetivo conquistar novos clientes são indispensáveis nesse momento e podem ser o diferencial de uma empresa para superar um período economicamente instável.

A comunicação pode ser feita por meios tradicionais, como folhetos e jornais locais, e pelos meios digitais. As mídias sociais, por exemplo, se tornaram grandes aliadas de empresas para conquistar mais clientes e fidelizar clientes antigos.

5. Atenção ao fluxo do negócio

Dois fatores importantes sobre a gestão de um negócio e que devem ser contrabalanceados, principalmente em períodos de crise são o mix de produtos e o fluxo de loja. Ao mesmo tempo em que se deve avaliar quais os produtos têm melhor saída e quais estão encalhados na loja, reduzindo a compra desses últimos, uma loja sem opções e esvaziada não é atraente para o consumidor — que tende a procurar uma concorrente com mais opções de produtos e variedades de preços.

Nesse aspecto, é importante que o empresário faça um controle financeiro eficiente do negócio e consiga conciliar essas duas características para que o varejo se mantenha atraente para o consumidor e lucrativo para os investidores.

Gostou desse artigo sobre crise econômica no varejo? Leia também esse artigo sobre Como usar a inteligência Competitiva para melhorar as vendas no varejo!  

Para saber mais sobre a Lumi Software e o que fazemos, visite o nosso website: Lumi Software.

 

 

 

 

Funcionamento no feriado de Corpus Christi

Prezados clientes e parceiros, em decorrência do feriado de Corpus Christi, informamos:

ÁREA COMERCIAL

Quinta-Feira – 26/05/2016 – Corpus Christi – Não haverá expediente;

Sexta-Feira – 27/05/2016 – Expediente volta as suas atividades normais a partir de 08:15;

SUPORTE TÉCNICO

Quinta-Feira – 26/05/2016 – Corpus Christi  – Não haverá expediente, atendimento via portal de atendimento WEB –  abertura de chamado;

Sexta-Feira – 27/05/2016 – Expediente volta as suas atividades normais a partir de 08:15.  

 

Controle de perdas: veja 4 erros que você pode estar cometendo

Você sabe quanto dos seus estoques são desperdiçados todo o mês? Se desconhece completamente esses dados, saiba que a situação pode ser mais preocupante do que parece. De acordo com o estudo 14ª Avaliação de Perdas no Varejo – Provar Ibevar, as empresas brasileiras apresentam, em média, um índice de perdas de 2,31%. Se considerarmos os micro e pequenos negócios, esse número salta para aproximadamente 7%, o que é ainda mais preocupante. O controle de perdas é uma atividade que deve ser feita em qualquer tipo de empresa, afinal, estamos falando de um problema que gera impactos na produtividade e nas finanças do negócio.

Para ajudá-lo, vamos mostrar os 4 principais erros que podem ser evitados, mostrando algumas ações para você melhorar a situação. Confira a seguir!

Não adotar um sistema de gestão

O controle manual é o começo do problema, afinal, nessa situação, os erros são muito mais comuns e a informação circula vagarosamente entre os setores que mais precisam. É fundamental implementar um sistema informatizado para gerenciar os estoques, pois, com dados mais completos e dinâmicos, você consegue planejar melhor as suas compras e evitar os excessos que geram desperdícios.

Além disso, os softwares de gestão de estoques garantem ao gestor os dados que necessários para a tomada de decisão, melhorando muito a produtividade.

Não realizar a contabilização dos inventários

Embora a automação seja o passo principal, na área de estoques, a participação humana é fundamental. Assim, outro erro comum é não realizar o inventário rotativo e o inventário geral. São duas estratégias muito eficazes de contabilização que podem aumentar o controle e diminuir os desperdícios.

No inventário rotativo, você escolhe alguns itens a serem contabilizados de maneira individual, diariamente. Um exemplo é contar o item A e B nas terças, por exemplo, e os itens C e D nas quartas. Já o inventário geral, é realizado de maneira semanal ou mensal, e abrange todos os itens estocados. Com essas duas análises e o software de gestão, você tem um controle completo de todos os seus estoques.

Não se preocupar com a armazenagem

Como é a rota para carga e descarga da sua empresa? Os produtos são armazenados internamente ou a empresa conta com um armazém-geral? Quem é o responsável pela retirada dos produtos nos estoques? Todas essas perguntas precisam ser respondidas, principalmente no caso das micro e pequenas empresas que lidam com produtos de alto valor.

O impacto de um notebook danificado, por exemplo, pode ser bastante significativo para um pequeno empresário. Por isso, é preciso definir com clareza todos os processos de armazenagem e conservação dos produtos. Segurança é uma das principais armas contra o desperdício.

Não treinar sua equipe para o controle de perdas

Inventário e software de gestão podem diminuir vários problemas relacionados aos estoques, mas, como vimos, no final é a qualidade dos colaboradores que vai determinar a melhoria do controle. Por isso, nosso último erro é a falta de preparo dos colaboradores.

Além do treinamento para o melhor uso das ferramentas, é preciso que todos os funcionários estejam imersos em uma cultura organizacional pautada na prestação de contas. Além disso, se for necessário, contrate um estoquista para auxiliar na gestão de estoques e controle de perdas. Afinal, o gestor tem que priorizar outras tarefas, como a captação de clientes, o planejamento, entre outras.

Gostou desse artigo sobre controle de perdas? Leia também esse artigo sobre os erros mais comuns na Gestão Financeira da sua empresa.  Veja também alguns dos nossos casos de sucesso clicando aqui.

Os 4 mandamentos do controle financeiro eficiente

Contas no vermelho, atrasos nos pagamentos a fornecedores, dívidas. São muitas as consequências de uma gestão financeira que não funciona bem. Para evitar esses problemas, que podem até mesmo comprometer a sobrevivência do negócio, é preciso apostar em um controle financeiro eficiente e seguir alguns mandamentos, como ficar sempre de olho no fluxo de caixa, separar as despesas da empresa das pessoais e fazer projeções para o futuro.

Confira os 4 mandamentos do controle financeiro eficiente e descubra como colocá-los em prática na sua empresa.

Não misturarás as despesas pessoais com as da empresa

É muito comum ver pequenos empresários não se preocuparem em separar as contas pessoais das da empresa quando abrem o seu negócio e usam sua própria conta corrente para recebimentos e pagamentos corporativos. Resultado: não desfrutam dos benefícios oferecidos exclusivamente para contas jurídicas, além de terem problemas na hora de se organizar e controlar o fluxo de caixa.

Coloque esse mandamento em prática já abrindo uma conta bancária exclusiva para sua empresa. Todas as entradas e as saídas relacionadas ao negócio devem ser vinculadas a esta conta, que não deve ser usada de forma alguma para despesas pessoais.

Ficarás atento ao fluxo de caixa

Um controle financeiro eficiente passa pela administração correta do fluxo de caixa. Ao analisar todas as entradas e saídas da empresa, você evita prejuízos de dinheiro e de tempo e mantém a saúde financeira do negócio em dia.

Liste todas as despesas fixas, como luz, internet e água e, em seguida, as variáveis, que são relacionadas ao produto ou serviço que sua empresa oferece e estão ligadas ao lucro obtido por ela. O controle do fluxo de caixa compreende ainda a análise das contas a receber, que são os pagamentos feitos pelos clientes.

Se preocuparás com projeções do mercado e da empresa

Além de fazer o fluxo de caixa, o empresário deve olhar para o futuro e se preocupar em fazer projeções do mercado e, também, da própria empresa. Faça uma análise da situação atual do mercado em que o negócio está inserido para avaliar se está aquecido ou não.

Preveja se, em curto, médio e longo prazo, as perspectivas são boas e se valerá a pena pensar em investimentos ou, por outro lado, colocar o pé no freio e partir para o corte de gastos.

Em relação à empresa, busque conhecer as previsões de vendas e de demanda. Assim, se tornará possível identificar se você terá que fazer investimentos ou aumentar o seu estoque, por exemplo. Aposte nestas práticas e seu planejamento financeiro será mais fiel à realidade.

Colocarás os preços certos nos seus produtos e/ou serviços

Precificar de forma correta seus produtos e/ou serviços é essencial para manter seu negócio operando de forma saudável. Ao colocar um preço muito abaixo do cobrado pela concorrência, você perde lucratividade e pode até mesmo perder clientes, que irão duvidar da qualidade dos produtos.

Já preços acima dos cobrados pelo mercado são um empecilho para as vendas e podem resultar em um estoque abarrotado de mercadorias sem saída.

Não deixe de colocar em prática agora mesmo esses mandamentos para um controle financeiro eficiente e veja sua empresa ter um desempenho ainda melhor.

Gostou deste texto? Não deixe de ler também sobre os erros que você não pode cometer na gestão financeira da sua empresa.

Fale com um de nossos consultores clicando aqui.

Gestão de notas fiscais: 4 dicas essenciais para a otimização

Comprar e vender é o que torna uma empresa competitiva no mercado, afinal, é preciso gerar receita para se chegar ao tão sonhado lucro. A emissão de notas fiscais é um processo comum a todas as empresas, independentemente do seu porte e segmento. É por meio dele que se pode saber o quanto está pagando de impostos e, para o governo, é um importante instrumento de controle do que está sendo comercializado e do quando está sendo arrecadado no país.

Mas nos últimos anos, com o nascimento da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), toda aquela papelada gerada na emissão das tradicionais NFs foi transformada em arquivos digitais, automatizando muitos processos antes realizados manualmente, e desafogando colaboradores que dedicavam intermináveis horas no preenchimento das notas fiscais diariamente.

Mas apesar de toda a facilidade trazida com a implementação da NF-e nas transações comerciais, muitos empreendedores acabam encontrando dificuldades na organização de documentos, o que pode causar muitas dores de cabeça. Pensando nisso, elaboramos algumas dicas essenciais para a otimização dos processos diários por meio de uma boa gestão de notas fiscais. Acompanhe!

Crie procedimentos de rotina

O primeiro passo para uma gestão eficiente de NFs é padronizar a forma como elas são recebidas no dia a dia, de forma que sejam facilmente encontradas sempre que precisar. Como a emissão ou recebimento de documentos fiscais acontece com grande frequência, é preciso estabelecer procedimentos de rotina. Mas como fazer isso? É fácil!

Por exemplo, no caso de NFs de papel, crie um padrão de recebimento das notas de forma que sejam sempre colocadas no mesmo local, separando aquelas de entrada e de saída, além de manter guardados aqueles documentos que não serão utilizados em curto prazo. Ao final do dia, separe em arquivos por data de recebimento ou saída para que não se misturarem com outras. Assim, na hora de encontrar alguma informação, fica mais fácil procurar.

No caso de documentos digitais, o ideal é que as NF-e sejam separadas por pastas virtuais, seguindo o mesmo critério das notas de papel, sempre com a identificação e organização para que não se extraviem ou se percam entre as demais.

Organize as suas notas fiscais

A legislação obriga a guarda de documentos fiscais por 5 anos, o que exige ainda mais atenção quanto à organização e controle das NFs. No caso de notas de papel, é recomendada a organização e o controle em um local apropriado e com a devida identificação. A dica é separar em ficheiros ou pastas, alocadas num ambiente bem arejado de forma que possam ficar bem conservadas. Locais úmidos, mal ventilados ou que correm o risco de molhar em caso de chuva devem ser evitados.

No caso de notas fiscais eletrônicas, é fundamental fazer um backup frequente dos arquivos para se precaver caso ocorra algum imprevisto. O ideal é que a empresa adote um software de gerenciamento de NF-e e o armazenamento das informações fiscais passe a ser na nuvem. Com isso, além de estarem mais seguras, poderão ser acessadas de qualquer hora e em qualquer local.

Verifique a autenticidade das NFs

Quando se trata de documentos fiscais, todo cuidado é pouco. No caso de fraude ou NFs sem a devida autenticidade pelo órgão competente, a empresa está correndo sérios riscos de ser autuada.

Para uma gestão eficiente de notas fiscais, é fundamental que o gestor, ao receber uma NF, consulte o portal da prefeitura emissora e certifique-se de que realmente o documento é verídico e que os impostos foram corretamente aplicados na nota. Com uma rotina de conferência, a empresa não corre o risco de estar recebendo documentos irregularmente ou pagando impostos indevidos.

Adote um sistema de gestão

Investir em um sistema de gestão integrada é a melhor forma de automatizar os processos e evitar erros. Um software como esse vai ajudar no processo de lançamento, acompanhamento de prazos, controle de valores e impostos relacionados à nota fiscal. Além disso, é possível integrar o sistema com os mais diversos setores da empresa, como o estoque, compras e, inclusive, a contabilidade, que deve estar ciente de todas as movimentações fiscais do empreendimento.

Gostou desse post? Clique aqui e baixe gratuitamente nosso Guia Prático: Otimize os Processos na sua empresa de varejo.

Para saber mais sobre a Lumi Software o que fazemos, visite o nosso site clicando aqui.